O que é o Babypod?2018-10-26T11:29:49+00:00

O que é o Babypod??

O Babypod é um pequeno dispositivo intravaginal. Estudos científicos demonstram que é o único sistema que estimula a vocalização do bebé antes do nascimento através da música e favorece o seu desenvolvimento neuronal. Com o Babypod, o início da união mais forte começa através da música e dentro da barriga. Será a primeira experiência partilhada entre uma mãe e o seu bebé e a primeira experiência musical e de aprendizagem dele.

O Babypod é o único produto deste tipo cientificamente garantido. Foi testado e aprovado pelo Instituto Marquès, centro de referência internacional em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Assistida.

Para os pais é também uma experiência inesquecível, emocionante e a primeira que irão partilhar com o seu bebé. Um verdadeiro espetáculo.

Ofereça ao seu bebé um estímulo universal, envia-lhe uma mensagem antes mesmo do seu nascimento com a garantia de que será bem recebida.

Já é uma bela experiência ver o teu bebé em cada ecografia que fazes, mas vê-lo reagir tão pequenito aos estímulos da música é simplesmente maravilhoso! Quando nos propuseram não pensámos duas vezes, queríamos desfrutar desta inovadora e mágica experiência.
O bebé reagiu perfeitamente movendo a sua cabecita e mostrando a língua uma e outra vez, fazia até mesmo gestos com a boca que nos deixaram sem palavras; mas do que mais me lembro foi, sem dúvida, de um maravilhoso sorriso que ele esboçou… não se pode descrever o que sentimos!
Obrigado por nos ajudar a sentir e conhecer melhor o nosso bebé, sem ele nem ter nascido ainda.

Inma Delgado, utente do Babypod

A música como estímulo para os bebés em gestação

música estimula importantes estruturas cerebrais do ser humano, melhora o seu desenvolvimento neurológico. Por isto, os pediatras recomendam que as crianças cresçam em ambientes com muitos estímulos, entre eles, a música. E se pudesse começar já? Graças ao Babypod as crianças podem começar a desfrutar do prazer da música antes mesmo do seu nascimento.

Por outra parte, a música estimula a comunicação e a linguagem, a forma de se expressar e a coordenação motora. Tudo isto é necessário para a vida em sociedade.

Graças ao Babypod as crianças iniciam os seus movimentos de vocalização no útero.

Todo um universo de sons agora se abre ao seu bebé

O Babypod nasceu como resultado de uma importante linha de investigação dosobre os efeitos da música desde o começo da vida. A música oferece múltiplos benefícios para o cérebro humano, entre eles, atua como estímulo para a aprendizagem e desempenha um importante papel na área da comunicação social. A estimulação dos bebés através da música desde os primeiros meses de vida tem efeitos positivos para o desenvolvimento cerebral; assim sendo, porque não proporcionar ao seu bebé os benefícios da música antes de ele nascer?

Durante o primeiro estudo científico, a equipa do Instituto Marquès aplicou música a incubadoras de embriões e tendo ficado demonstrado que a música melhora a fecundação in vitro.

Posteriormente, para investigar a audição fetal e fazer chegar mais eficazmente o som ao interior do útero, desenhou-se um pequeno dispositivo vaginal. O resultado foi uma descoberta surpreendente: os bebés estimulam-se e reagem movendo a boca e a língua.

Uma vez verificados os benefícios da música e a importância da estimulação neurológica dos bebés em gestação, nasceu o Babypod, um avanço médico do qual todas as mulheres grávidas e todas as futuras crianças deveriam poder desfrutar.

Os bebés ouvem antes de nascer?

O ouvido é o primeiro sentido que se desenvolve no embrião. Apenas são necessárias dezasseis semanas para que o sistema auditivo de um bebé em gestação esteja completamente desenvolvido, mas, os bebés podem ouvir desde então? Até agora acreditava-se que os bebés percebem sons a partir da 26ª semana. Contudo, um estudo recente realizado pelo Instituto Marquès demonstrou que ouvem desde a 16ª semana e, ainda mais, descobriu-se que os bebés reagem aos estímulos musicais.

Ambiente sonoro no útero, o que o bebé ouve desde o interior da barriga?

A partir da 16ª semana o bebé começa a ouvir diferentes sons. De onde procedem? Por um lado, do interior da sua mamã -os seus batimentos cardíacos, a sua respiração, a sua voz-, e, por outro lado, do exterior e das atividades realizadas por ela. Porém, o bebé está isolado dos sons externos, os quais lhe chegam amortecidos; ouve-os a uns 30 decibéis, volume que corresponde a um sussurro. Além disso, os sons são muito repetitivos, o bebé acostuma-se rapidamente a eles e não o impedem de dormir. Enquanto está na barriga, o bebé pode perceber e recordar diferenças no ritmo e na entoação da voz da sua mãe, mas todos os sons chegam até ele muito distorcidos e amortecidos. O bebé não ouve os sons externos nem a voz da sua mãe tal como são emitidos.

Como o bebé ouve os sons do exterior?

O bebé percebe os sons muito amortecidos, porquê?

O útero é um espaço protegido do exterior, e é o corpo da mãe que realiza essa função através de várias “camadas” ou tecidos moles. Estas camadas fazem com que a intensidade do som seja atenuada e que se distorça na sua viagem rumo ao interior do útero; é parecido a quando ouvimos uma conversa no quarto ao lado mas não entendemos tudo o que se diz.

Quando os sons são gerados ao nível do abdómen da mãe, por exemplo, com uns auscultadores, uma parte deles acabará por dispersar-se no ambiente, mas outra será absorvida por esses tecidos moles ou camadas (a parede abdominal e a do útero), de forma que o bebé somente receberá um rumor, similar ao que se obteria colocando uma almofada contra um altifalante; também se pode comparar com os sons de fundo de um bosque.

É possível que os bebés percebam os sons como nós?

Só é possível através de uma única via: a vaginal.

A vagina é um espaço fechado. Por isto, o som não se dispersa no ambiente. Além disso, as camadas de tecido mole que separam o bebé da fonte de som são menores, só são as paredes vaginal e uterina. Colocando um altifalante na vagina elimina-se a barreira formada pela parede abdominal e o bebé pode ouvir os sons quase com a mesma intensidade e clareza com as quais são emitidos.

Com o Babypod, os sons chegarão até ao bebé sem distorção, quase com a mesma intensidade e clareza com as quais são emitidos, já que o número de camadas que o separam da fonte de som é menor.

A música emitida ao nível do abdómen não chega ao bebé, que quase não a ouve devido às camadas que o isolam do exterior.

O que o bebé ouve quando a música é transmitida por uns auscultadores na barriga da sua mãe?

Para a realização do estudo científico, transmitiu-se música no abdómen da mãe através de uns auscultadores. Neste ensaio, o volume da música estabeleceu-se em 98,6 decibéis, uma intensidade bastante elevada, equivalente ao som de um cortador de relva. Contudo, os bebés não mostraram nenhuma reação à música.

Mas, ao contrário, sim que responderam à música emitida com o Babypod, a uma intensidade de 54 decibéis, correspondente ao volume de uma conversa em tom baixo ou ao de um sistema de música ambiente. Só desde o interior é possível estimular o bebé; a música estimula-o e incita-o a dar uma resposta.

Ao utilizar o Babypod, quais são as reações que pode esperar do seu bebé?

Depois de estudar centenas de ultra-sons, os médicos do Institut Marquès verificaram o seguinte:

  • Ao ouvir música, a maioria dos bebés reage com movimentos do corpo e/ou da boca e da língua.
  • A resposta é diferente em cada exploração e o tempo que demoram a reagir é muito variável. Também é diferente o tipo de movimento e o número e a intensidade dos mesmos, assim como o tempo em que deixam de se movimentar após a cessação do estímulo musical.
  • O mesmo bebé apresenta diferentes respostas cada vez que escuta a música.
  • Os resultados são similares em ambos os sexos.
  • Os gémeos apresentam um comportamento similar.
Porque a resposta é diferente cada vez que o bebé escuta a música?

A resposta é diferente porque depende da atividade dos neurónios do tronco do encéfalo no momento da exploração. Não é um reflexo, é uma resposta e, por isto, depende de diversos fatores. Por exemplo, pode depender da fase do sono em que o bebé se encontra, assim como dos níveis glicémicos da mamã grávida nesse momento, isto é, do tempo em que a mãe está sem se alimentar. Ao falar a um bebé de poucos meses de vida se passa a mesma coisa, dirigimo-nos a ele com um tom muito mais agudo e melódico porque sabemos que assim iremos estimular a sua resposta de comunicação. Geralmente, responde-nos com movimentos de expressão facial, de vocalização e de língua. Esta reação é diferente em cada momento e depende de muitos fatores, principalmente de se o bebé tem fome, sede, frio, sono, etc.

O que se passa se o meu bebé não reagir?

Não se passa nada. Isso só quer dizer que os seus circuitos cerebrais estão a dar prioridade a outros neurónios. Mas já verá a reação dele na próxima ecografia.

Foi uma grande experiência poder ver a minha pequena reagir com a música.
A primeira imagem dela foi um sorriso. E quando começou a abrir a boca e a mostrar a língua, foi simplesmente fantástico.
Movia-se mais do que antes, senti mais pontapés e empurrões… foi maravilhoso.
Uma grande experiência, curiosa eemocionante ao mesmo tempo.

Ana Colomar, utente do Babypod

A reação do seu bebé vai ser diferente cada vez que utilizar o Babypod e de acordo com o tipo de música escolhida.

Não utilizar em caso de:
  • Contrações uterinas e/ou dilatação do colo uterino.
  • Gestações do alto risco obstétrico como malformações uterinas, ameaça de parto prematuro, rutura prematura da bolsa de águas ou placenta prévia.
  • Infeções vaginais ou urinárias recorrentes ou ativas.
O Babypod é seguro
  • O material que entra em contacto com a futura mamã é o silicone. Sabemos que este material não é irritante e é hipoalergénico.
  • A intensidade do som é de 54 decibéis, similar a uma conversa em tom baixo. O Babypod incorpora um sistema de controlo para não ultrapassar este nível. Portanto, não pode danificar o ouvido do feto.
  • A emissão de ondas de vibração sonora na vagina não tem efeitos adversos no feto. Por isto, está permitido utilizar brinquedos sexuais durante a gravidez.
  • O estudo clínico do Instituto Marquès foi aprovado por um comité de ética. Já nasceram os primeiros 100 bebés aos quais se lhes aplicou o Babypod e os seus respetivos estudos de otoemissões acústicas ao nascer foram normais.
  • O Babypod não tem bateria, não incorpora Bluetooth nem radiofrequência.
FDA aprova dispositivo de gravidez Babypod como produto de bem-estar geral

A Food and Drug Administration dos Estados Unidos (FDA) aprovou o dispositivo Babypod como um produto de bem-estar geral. A FDA define produtos de bem-estar geral como aqueles que apresentam um baixo risco para a segurança dos usuários e que se destinam a manter ou incentivar um estado geral de saúde ou promover atividades saudáveis.

“Acreditamos que Babypod é um produto de bem-estar geral baseado nas informações fornecidas em sua apresentação. O uso pretendido do produto é compartilhar música com o feto em desenvolvimento para o relaxamento da mãe, alcançar um primeiro vínculo entre mães e filhas e, ao mesmo tempo, fornecer estímulos ambientais para o feto em desenvolvimento. O produto não penetra na pele nem nas membranas mucosas, não é implantado, tem curta duração de contato e não envolve intervenção ou tecnologia que possa representar riscos à segurança dos usuários”.

O pack inclui:
  • O Babypod.
  • Um estojo para guardar o aparelho.
  • Um saco para o levar consigo para onde quiser.
  • E uns auscultadores para ouvir o que o seu bebé ouve ao mesmo tempo que ele.